Silvia Antibas: imigração no Brasil teve respeito à cultura

ter, 03/11/2020 - 17:52
Publicado em:

Diretora cultural da Câmara Árabe participou de debate sobre a importância do diálogo intercultural no encerramento do 9º Festival de Cinema Latino-Árabe e falou sobre a imigração árabe no Brasil.

São Paulo – O respeito à cultura do outro é uma característica da imigração no Brasil. Essa foi uma das informações apresentadas pela diretora cultural da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Silvia Antibas (foto acima), no debate “A importância do diálogo intercultural”, realizado nesta segunda-feira (26) de forma virtual no encerramento do 9º Festival de Cinema Latino-Árabe, organizado pela Associação Civil Crescente Cinema Fértil, da Argentina.

Relatando exceções, como no caso da escravidão, Antibas disse que os imigrantes, entre eles os árabes, foram bem recebidos no Brasil. “O respeito à cultura do outro é uma característica da imigração no Brasil”, afirmou ela, dando números de uma pesquisa recente divulgada pela Câmara Árabe, que mostrou que árabes e descendentes são quase 12 milhões de pessoas no País, o que significa 6% da população.

Antibas contou que a Câmara Árabe anunciou na última semana, durante o Fórum Econômico Brasil & Países Árabes, a criação da Casa Árabe em versão digital, e que essa será um grande portal para discussões das questões de cultura e imigração. Antes de contar a novidade, Antibas disse que diálogo sobre artes, ciências sociais e áreas de humanidades em geral são fortes dentro da academia no Brasil.

Antibas também falou sobre o mundo árabe e suas diferenças na cultura e modo de vida nos vários países, assim como ocorre na América Latina. “E esse exercício de diálogo, de respeito à cultura do outro é um exercício que temos que praticar constantemente dentro do mundo árabe e na América Latina”, afirmou a diretora cultural.

Participaram do debate vários intelectuais de países latino-americanos, com mediação do brasileiro Geraldo Adriano Campos, coordenador do Centro de Estudos Árabes e Islâmicos (Ceai). O debate foi transmitido no canal do YouTube Clasco TV, do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clasco), instituição internacional criada por iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).