Basem Naim: "estamos diante de um momento histórico e o plano de anexação é uma nova catástrofe que os palestinos devem enfrentar com rigor"

sab, 27/06/2020 - 11:08
Publicado em:

Em reunião online realizada pelo Instituto Brasil Palestina no sábado, 20 de junho, autoridades da comunidade palestina na América Latina discutiram o plano de anexação e unir esforços da comunidade em prol do trabalho conjunto. A antropóloga brasileira Francirosy Campos Barbosa foi uma das integrantes do encontro.

Como enfatizou Basem Naim, presidente do Conselho de Relações Internacionais - Palestina, “os palestinos estão passando por um momento histórico em sua justa causa, e o plano de anexação israelense é uma nova catástrofe que devem enfrentar vigorosamente”.

Naim frisou que o governo estadunidense e a ocupação israelense buscam eliminar completamente a questão palestina por três vias: a judaização de Jerusalém, a liquidação da questão dos refugiados e a manutenção dos palestinos em cantões e legitimação. A ocupação.

Em relação ao confronto com esses planos, Naim indicou que é necessário que a comunidade palestina tenha frentes nacionais na forma de lobby, governos, parlamentos, conselhos políticos e partidos para anunciar uma posição clara e explícita contra esses planos.

Ele exortou as comunidades a clamar aos povos amigos a sair às ruas e protestar, bem como a fortalecer o movimento de boicote e a agir legalmente para obter leis para processar e responsabilizar criminosos de guerra sionistas.

O presidente do Conselho enfatizou a necessidade de usar a mídia, especialmente as redes sociais, para atingir a opinião pública global e expor os planos da ocupação, estimulando pessoas de fora a se comunicarem com os palestinos no interior e aumentar sua resiliência.

Os participantes enfatizaram a necessidade de repetir essas reuniões para coordenar os esforços da comunidade e a comunicação contínua com o interior palestino, expressando sua disposição em cooperar entre o povo da comunidade para servir a causa palestina. 

Ahmed Shehada, presidente do instituto, disse que haverá uma série de encontros para coordenar esses esforços. 

Fonte: Instituto Brasil Palestina