Soraya Smaili, farmacologista e ex-reitora da UNIFESP, é coordenadora no Centro de Saúde Global da universidade

sab, 19/06/2021 - 16:34
Publicado em:

 

Soraya Smaili, farmacologista da Escola Paulista de Medicina e Reitora da Unifesp no período 2013-2021, é coordenadora no Centro de Saúde Global (CSG) da universidade. A Profª Dra. da Escola Paulista de Medicina é também integrante do grupo fundador do ICArabe. Ela coordenará o CSG juntamente com o Prof. Dr. Arnaldo Colombo. 

Lançado em 10 de junho, o Centro de Saúde Global é uma iniciativa nova, que nasceu da necessidade de organizar esforços e coordenar diferentes áreas de atuação para o combate ao novo coronavirus desde 2020. A pandemia mundial deixou clara a necessidade de termos núcleos de pesquisa, inovação, ensino e assistência articulados para responder de forma rápida, ordenada, consistente e completa aos novos desafios de uma doença infecciosa emergente, incluindo agentes resistentes a tratamentos convencionais, com grande capacidade de transmissão comunitária e de consideráveis repercussões em saúde pública.

"Sabemos que o mundo vive os desafios dos novos patógenos, novas pandemias, especialmente em virtude das questões ambientais. Vários países começaram um movimento de fortalecimento do conceito de Saúde Global, para buscar uma visão de integração de diferentes áreas do conhecimento para a saúde humana de qualidade", ressalta Soraya Smaili.

No Brasil são poucas as instituições que estão trabalhando nesta linha, e a Unifesp lança agora um Centro de Saúde Global, cuja concepção teve início na gestão da reitora Soraya Smaili e que agora inicia os seus trabalhos com uma série de seminários e estudos.

O  Centro de Saúde Global , CSG Unifesp, atuará na vigilância de patógenos emergentes, buscará caracterizar as cadeia de transmissão, história natural e desenvolvimento de ferramentas para diagnóstico rápido, medidas de controle, combate e prevenção, bem como estratégias de imunização e tratamento. 

A estrutura será pautada no conceito de saúde única e global por meio, para isso articulará uma rede envolvendo serviços de atendimento à comunidade, estabelecendo um ambiente de cooperação entre diferentes áreas do saber. Contribuirá para o estabelecimento de ações e políticas públicas necessárias para mitigar o impacto global de infecções emergentes com base na ciência da implementação, sempre levando em consideração evidências científicas e sua aplicação nos serviços de saúde. O CSG Unifesp incluirá não só a pesquisa na área da médica e da saúde, como também incluirá as ciências sociais e humanidades, para estudar os impactos sociais, econômicos, políticos e culturais causados pelos surgimentos dos patógenos emergentes e estratégias para o enfrentamento. 

Está dividido em 7 grandes áreas: 

I - Inovação farmacêutica e diagnóstica;

II - Impacto social, econômico, territorial e políticas públicas;

III - Observatório clínico e social envolvendo interação com vigilância epidemiológica, organização de coortes, data science e mídias sociais;

IV - Saúde humana, animal e ambiental;

V - Neurociências e saúde mental;

VI - Bio experimentação e fisiopatologia;

VII - Modelo jurídico, governança e sustentabilidade